Páginas

sexta-feira, 6 de Janeiro de 2012

3º ENCONTRO - CF 2012

DESAFIOS DA SAÚDE NO BRASIL

"Todos juntos somos fortes"!

Considerações para o desenvolvimento do encontro
Justificativa para a escolha do tema

Difundir dados sobre a realidade da saúde no Brasil e seus desafios, bem como a estreita relação com os aspectos socioculturais de nossa sociedade.
Despertar para a atuação  da Igreja por meio de suas pastorais com destaque às Pastorais da Saúde e da criança, possibilitando novos enfoques de ação.
Divulgar o conceito de saúde pública e a atuação do SUS, estimulando o exercício da cidadania.

Dinâmica do encontro

DINÂMICA: “SEGURA...NÃO DEIXA CAIR!”
  1. Formar um círculo com os catequizandos: distribuir para cada um uma papeleta em que esteja escrito um dos “males” (doenças), relacionados abaixo. Pedir para não contarem uns aos outros o que está escrito no papel. A papeleta ‘gripe’ deve ser repetida cinco ou mais vezes, dependendo do número de participantes (colocá-la para um terço das pessoas).
  2. Os participantes engancham os braços  uns nos outros, formando uma espécie de corrente, evitando que alguém caia.
  3. No meio do círculo fica o “doutor”, a pessoa que vai conduzir a brincadeira. O “médico”  lê um dos diagnósticos (sugestões abaixo). A pessoa que estiver com a “doença” correspondente amolece o corpo para cair, como se fosse um desmaio. As duas pessoas que estão ao seu lado, a seguram para não deixá-la cair. Se a pessoa cair, ela morre... 
  4. Depois de ser amparada, a pessoa ‘doente’ volta o corpo ao normal. Assim o médico vai lendo os diagnósticos até chegar a doenças de maior incidência, por exemplo, a gripe ou a dengue. Como há várias pessoas com esta “doença”, muita gente vai “cair” ao mesmo tempo e o círculo vai se desmantelar. Torna-se difícil segurar, portanto é preciso envolver mais pessoas, organizar toda a sociedade. Ao final,estabelecer uma ligação entre o que ocorreu no círculo com o que está acontecendo com a saúde pública.
  5. Após a execução da dinâmica, deixar que os participantes falem sobre o que sentiram.
  6. Como se sentiram ao serem taxados de “doentes”? Como viram a doença que cada um recebeu?
  7. Comentar da importância de ter alguém que segure e dê apoio num momento em que tudo parece que vai desmoronar, cair.
  8. Como foi estar atento ao outro, cuidar do problema do outro?
  9. Como é a dificuldade de apoiar, quando há grande o número de doentes? Salientar a importância da prevenção, de não deixar a doença se espalhar, dos cuidados com o corpo e o ambiente.
  10. Concluir falando da importância da presença, da solidariedade, da compaixão junto àqueles que sofrem.


DOENÇAS: 
Gripe, doenças do pulmão, dengue, hipertensão, diabetes, problemas renais, anemia, obesidade, colesterol alto, dependência química (drogas), alergia, dores de ouvido e cabeça, gengivite, cáries e placas nos dentes. 
(Podem ser acrescentadas outras doenças com os respectivos diagnósticos).

DIAGNÓSTICOS:
  • Exposição ao ar frio (mudanças climáticas) e contato com pessoas doentes, não lavar as mãos. (gripe)
  • Poluição do ar contato com fumantes ou fumar. (doenças do pulmão)
  • Falta de cuidado com os quintais e os vãsos de plantas, deixando água parada. Falta de higiene. (dengue)
  • A pessoa não cuida da alimentação, ingere alimentos gordurosos e não saudáveis, não pratica exercícios físicos. (hipertensão)
  • Há pessoas diabéticas em sua família, mas a pessoa nunca fez exames preventivos. Não se alimenta com alimentos saudáveis. Consome doces em excesso. (diabetes)
  • A pessoa não toma água várias vezes ao dia. Não cuida da alimentação. Ingere muito sal. (problemas renais)
  • Faltam em sua alimentação frutas, verduras e outros alimentos saudáveis. (anemia)
  • Consome alimentos muito calóricos, tipo salgadinhos (chips), refrigerante. Não faz exercícios físicos. (obesidade)
  • Não se alimenta corretamente, abusa de alimentos gordurosos e de doces. (colesterol alto)
  • A pessoa deixou-se levar por falsos amigos e acabou experimentando drogas. (dependência química)
  • A pessoa se expõe ao ar poluído. Freqüenta ambientes poluídos, sujos, com muita poeira. Consome alimentos contaminados. Não cuida devidamente da higiene pessoa. (alergia)
  • A pessoa ouve música em volume demasiadamente alto, freqüenta ambientes com poluição sonora. (dores de ouvido e de cabeça)
  • A pessoa não escova os dentes. Consome doces exageradamente, sem fazer a adequada higiene bucal. (gengivite, placas bacterianas, cárie)
Iluminando o encontro

Leitura Bíblica: Jo 9,1-7- A cura do cego de nascença.

Cristo interrompe a tradição de vincular doença e pecado. Ele oferece aos discípulos aos discípulos e aos que o cercam uma catequese sobre sua missão: ser a "Luz do mundo".
Importante realçar o "ver" e o "crer". O pior cego é aquele que não quer ver. Jesus retira o povo da cegueira para que percebam que não é por causa de Deus que estão sofrendo, mas por causa de uma sociedade com uma estrutura injusta. Ele aponta para aqueles que são os "falsos" cegos, responsáveis por manter e promover tal estrutura. Aprendemos com o Evangelho , que temos a missão de continuar a ação de Jesus, libertar o povo de seu sofrimento, exigir mudanças das autoridades. É missão da Igreja a continuidade da ação de Jesus na história "para que a saúde se difunda sobre a terra.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Anjos online

Lista atualizada dos catequistas unidos

De onde vêm nossos visitantes?

VOLTAR AO TOPO

VOLTAR AO TOPO
OBRIGADA PELA VISITA. VOLTE SEMPRE!